“Não acabar com a obrigatoriedade do imposto sindical é gol de mão”

Ricardo Ferraço, relator da reforma trabalhista no Senado, disse a O Antagonista que a reunião de Michel Temer hoje pela manhã com Paulinho da Força para buscar uma alternativa ao fim da obrigatoriedade do imposto sindical representa “um brutal retrocesso”.

“Temer não pode fazer isso. Seria uma decisão na contramão do bom senso. O fim da obrigatoriedade é uma das principais conquistas da reforma trabalhista.”

O senador resumiu:

“Só tem uma coisa que explica isso: a busca compulsiva pela sobrevida.”

O Planalto negociou outros pontos da proposta que será analisada pelo plenário do Senado na próxima semana, mas não o imposto sindical.

“Não negociou porque sabe que esse é um ponto inegociável com o Parlamento. Não acabar com a obrigatoriedade do imposto sindical é gol de mão.”