"Não acredito em imunidade de rebanho", diz prefeito de Manaus

Em meio ao avanço de novos casos de Covid-19 na cidade, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), disse a O Antagonista que a situação “ainda não está parecida com aqueles picos” de meses atrás.

“Eu diria que pode haver uma segunda onda, mas é uma onda bem menor. É para mostrar que o vírus ainda está entre nós. Tem que ter a vacina. Gripe volta. Eu não acredito em imunidade de rebanho. Eu não acredito que quem teve a doença, como eu, não vai ter mais. Essa imunidade dura algum tempo, alguns meses, mas não dura para sempre.”

Para o prefeito, falar em imunidade de rebanho é “não enfrentar o problema real”.

No entender dele, a abertura das atividades no estado, após o pico da doença, foi “apressada” e “desastrada”.

Virgílio acrescentou acreditar que a mutação do vírus que está sendo observada na Europa também é uma realidade no Brasil.

“O vírus está em mutação aqui também. Esse vírus, como os outros, tem várias caras, não tem uma cara só.”

Leia mais: Os leitores de O Antagonista não agonizam com polêmicas fake.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO