Não basta prender Cerveró. É preciso prender também Gabrielli, Vaccari e Duque

No mês passado, foi noticiado que Nestor Cerveró, um dos integrantes da quadrilha que agia dentro da Petrobras, estava em Londres, de onde não pretendia voltar. Pois ele voltou e foi preso assim que desembarcou no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. A Polícia Federal o prendeu porque ele fez movimentações financeiras e imobiliárias esdrúxulas, indicativas de que pretendia zerar o patrimônio em seu nome e dar no pé de uma vez.
Muito bem, a questão que intriga O Antagonista  é Nestor Cerveró ter podido sair do Brasil. Como o sujeito não teve o o passaporte apreendido assim que o seu nome apareceu no Petrolão? Provas da sua participação na lambança não faltam. É preciso retirar o passaporte de todos os envolvidos, como Sérgio Gabrielli e João Vaccari Neto, que pelos sobrenomes italianos podem seguir o caminho de Pizzolato, e Renato Duque, o homem de José Dirceu na Petrobras.
Aliás, é um escândalo que Gabrielli, Vaccari e Duque não estejam no xilindró.
Apreendam os passaportes de todos — e os prendam já. 

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200