ACESSE

Não confunda conservador com reacinha

Telegram

Em sua coluna na Crusoé, Leandro Narloch trata das (grandes) diferenças entre conservadores e reacionários — ou “reacinhas”, tipos cada vez mais comuns, especialmente no Twitter.

“O conservador lamenta rupturas, mas não é sempre contrário a mudanças – defende mudanças lentas e graduais. Edmund Burke, pai do conservadorismo inglês, defendia a independência dos Estados Unidos e criticava o colonialismo da Índia. Hoje seria favorável à legalização da maconha medicinal (proibir remédios não é exatamente uma posição conservadora). Já o reacinha reage a qualquer mudança de costumes. Decide suas opiniões em oposição a seus adversários políticos. Criticará uma medida da esquerda mesmo se essa medida se alinhar a princípios liberais-conservadores”, diz o colunista.

“É preciso diferenciar o conservador clássico do chato, do estridente que passa o dia perdendo amigos na internet, do reacionário que só se manifesta por maiúsculas – ou seja, do reacinha.”

Leia a íntegra da coluna na Crusoé:

Não confunda conservador com reacinha

"As universidades públicas brasileiras gastam demais e educam de menos." LEIA AQUI

Comentários

  • Maria -

    Pois é, Leandro! Esse governo que aí está, e se diz conservador, está cheio de reacinhas. Haja paciência!

  • José -

    Esqueça da esquerda. Sempre suas pautas tem algo tenebroso por tras. Não duvide

  • Chiganer -

    é mais um "conservador" que quer ser conservador só ele, mas quem ele n gosta já corre pra colar um rótulo.

Ler 101 comentários