ACESSE

"Não convidamos nem o ditador cubano nem o venezuelano. Afinal de contas, é uma festa da democracia"

Telegram

Em nova live nas redes sociais, Jair Bolsonaro justificou o desconvite a Miguel Díaz-Canel e Nicolás Maduro para a cerimônia de posse.

“Nós não convidamos nem o ditador cubano nem o venezuelano. Afinal de contas, é uma festa da democracia. Lá não existe eleição, quando existe, são suspeitas de fraude. Então, para nós não interessa”, disse o presidente eleito.

Acrescentou que Cuba rompeu unilateralmente o contrato com o Brasil no programa Mais Médicos. Quanto à Venezuela, disse que “a melhor forma de apoiar o povo venezuelano é não convidando o senhor Nicolás Maduro”.

Exclusivo: general Mourão revela novas ameaças a Bolsonaro LEIA AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 44 comentários