“Não dá para dizer que não houve racismo”

“Não dá para dizer que não houve racismo”
Reprodução/TV Globo

A delegada Roberta Bertoldo, responsável pelas investigações sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas, disse à CNN neste domingo que todas as pessoas com possível envolvimento no caso estão sendo interrogadas.

Afirmou ainda que “todas as circunstâncias estão sendo apuradas com rigor e cautela”.

“Jamais se justificaria tamanha violência. Chamou muito a atenção tamanha brutalidade num caso como esse. Não dá para dizer que não houve racismo, mas isso será investigado até o final da apuração da polícia “, afirmou.

“Precisamos ter prova de todos os atos criminais, daquilo que efetivamente foi praticado. Temos atos discriminatórios previstos em lei, isso será averiguado assim como outros crimes, como falso testemunho e omissão de socorro de pessoas que estavam lá e nada fizeram para ajudar a dissipar a confusão.”

Na sexta-feira passada, a delegada afirmou que, até aquele momento, não havia elementos de crime racial.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 100 comentários
TOPO