“Não devemos servir ao dinheiro”

Maria do Rosário, na tribuna: “não devemos servir ao dinheiro, mas ao povo brasileiro”. Foi um lapso de consciência. O PT, a marca fantasia com que a ORCRIM se apresentava ao povo, não apenas servia ao dinheiro, mas também se servia dele.