Não é certo, não

Lula defendeu João Vaccari Neto no ato de ontem à noite.

E acusou frontalmente Sergio Moro.

Um manifesto distribuído por seus acólitos dizia que “não é certo um juiz deixar as pessoas presas para falarem só o que ele quer ouvir mesmo que seja sem prova”.

Dizia também que “não é certo recusar delações só porque não falam de Lula”.

Na verdade, a única delação recusada pela PGR foi aquela de Léo Pinheiro, que incriminava Lula até o osso.

E isso não é certo.

Faça o primeiro comentário