ACESSE

Não é ideologia

Telegram

Jair Bolsonaro quer acelerar a queda de Nicolás Maduro.

A Folha de S. Paulo, em editorial, desaprova os primeiros gestos do presidente eleito:

“Sob o argumento de que a política externa brasileira nos anos petistas foi flexionada pelo peso da ideologia, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, prometeu em sua campanha pôr fim ao que chamou de aparelhamento do Itamaraty.

É incontestável, em especial no período do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o Brasil se aproveitou do momento econômico favorável para tentar aumentar sua relevância geopolítica, mas o fez assumindo posições de um surrado repertório antiamericanista e terceiro-mundista.

Sem dúvida, uma correção de rumos se fazia necessária (…).

Bolsonaro, infelizmente, não dá sinais de que pretenda buscar um equilíbrio. Ao assumir bandeiras de revanchismo contra uma esquerda que já deixou o poder há mais de dois anos, o presidente eleito padece, com sinal trocado, do mesmo mal que vê nos governos do PT.”

Repetindo: a queda do regime apodrecido de Nicolás Maduro corresponde aos interesses do Brasil. Não é ideologia.

Bolsonaro conseguirá 'despetizar' a máquina pública? SAIBA MAIS AQUI

Comentários

  • Cleide -

    Estou me decepcionando com o O Antagonista, está fazendo a mesma coisa essa mídia esquerdistas faz, infelizmente está ficando cada dia mais difícil um jornalismo isento, limpo.

  • Leonardo -

    Até quando O Antagonista vai ficar dando moral para a Folha? Até caírem juntos?

  • Marcos -

    Ter um estado falido que come na mão de potências imperialistas, como China e Rússia, antes de tudo é um risco à segurança nacional. Sem falar na crise migratória.

Ler 217 comentários