Não é Justus

Em junho, a Young & Rubicam Brasil, de Roberto Justus, desistiu de participar do contrato de R$ 208 milhões para atender a Presidência da República.

O Antagonista soube que Justus pulou fora por pressão de Elsinho Mouco. A saída da Y&B levou a Cália, do irmão do marqueteiro de Temer, para dentro do grupo de três agências que agora cuidam da publicidade oficial.

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 8 comentários
  1. Os contratos de publicidade entre governo e agências sempre foi um grande engodo. Quem ganha a licitação é o marqueteiro ou o parente do marqueteiro da campanha eleitoral. Sempre foi assim.
    .
    O que obviamente não significa que não seja reprovável e tenha que acabar. Como as propinas das empreiteiras, uma hora a tampa vai ser aberta, e muita gente grande vai cair. É só aguardar.

  2. Custou muito à quadrilha ter a chance de chegar ao topo. Sempre rodeou, mas, lá mesmo, só agora. O tempo é curto. É preciso não desperdiçar um minuto sequer. Roubar, roubar, roubar. Sabe lá quando é que volta, e com o apoio até da Suprema Corte…