Não é ladra?

“Não sou ladra”, disse Dilma Rousseff.

Chegou o momento de prender Antonio Palocci, acusado de ter recebido 2 milhões de reais em propina para a campanha de Dilma Rousseff.

Chegou o momento de prender Carlos Cortegoso, dono da Focal, a empresa fantasma que recebeu 23,9 milhões de reais da campanha de 2014 e que lavou o dinheiro que o PT roubou do ministério de Dilma Rousseff.

Chegou o momento de dar uma batida na gráfica fantasma VTPB.

Chegou o momento de abrir o interrogatório de Nestor Cerveró sobre Pasadena.

Chegou o momento de investigar seriamente as mensagens de Marcelo Odebrecht sobre o “Feira” – João Santana – e sobre a “cta. Suíça na campanha dela”.

Como disse Delcídio Amaral:

“Presidente, a Odebrecht pagou no exterior pelos serviços prestados por João Santana à sua campanha”.

Não é ladra?

Faça o primeiro comentário