“Não é preciso muito esforço cognitivo”

O MPF defendeu que o processo contra Cláudia Cruz permaneça com Sérgio Moro, informa O Globo.

A defesa da mulher de Eduardo Cunha queria que o caso fosse transferido para o Rio.

“Em se tratando do mesmo esquema criminoso, da mesma sociedade de economia mista vitimada, do mesmo diretor internacional corrompido, do mesmo operador de propinas, de um deputado federal pertencente a um dos partidos políticos beneficiados pelo esquema e dos mesmos valores provenientes da Petrobras que abasteceram a conta titularizada pela esposa do deputado, não é preciso muito esforço cognitivo e argumentativo para concluir que os casos são conexos e devem ser julgados pelo mesmo juízo”, sustentou o MPF.

Cláudia é ré por lavagem de dinheiro e evasão de divisas em processo que apurou pagamento de propina de US$ 1,5 milhão a Cunha.