"Não está faltando dinheiro para o combate à pandemia", diz líder dos prefeitos

“Não está faltando dinheiro para o combate à pandemia”, diz líder dos prefeitos
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, disse nesta quinta (14) que “não está faltando dinheiro para o combate à pandemia”.

Donizette, que já foi prefeito de Campinas (SP) por dois mandatos, participou da reunião na manhã de hoje no Ministério da Saúde. Em entrevista a O Antagonista, disse ter aberto o encontro com essa frase.

“Nós temos o caso de uma capital que está com R$ 50 milhões em caixa e precisa gastar com Covid. E não fez, não efetuou as compras”, acrescentou. Donizette não quis dizer o nome da cidade.

Donizette relembrou a decisão do TCU que permitiu aos governos gastar em 2021 recursos do Orçamento de Guerra, aprovado em 2020. “O município pode também por ele efetuar as compras necessárias”, disse, referindo-se ao caso de compras de seringas e outros insumos para combater a pandemia.

O presidente da FNP também disse que Pazuello prometeu entregar “neste fim de semana” seringas para as cidades que estiverem sem.

Donizette esclareceu a discrepância de datas para início da vacinação. Segundo ele, Pazuello disse que a data de 20 de janeiro foi oferecida com duas condicionantes: aprovação pela Anvisa e a logística do voo para a Índia. Como o voo foi adiado em um dia, a data foi transferida para o dia 21.

O ex-prefeito também explicou que, em um primeiro momento, a vacina da AstraZeneca vai imunizar proprocionalmente mais gente que a Coronavac, já que o intervalo para a segunda dose será maior.

“A vacina da AstraZeneca nós vamos receber dois milhões [de doses] e vamos vacinar dois milhões de pessoas. A vacina do Butantan a gente vai receber seis milhões mas vamos vacinar três milhões, entendeu? Porque o intervalo da AstraZeneca é de três meses. E o intervalo da Coronavac é de 21 dias. Então a AstraZeneca a gente consegue aplicar tudo agora porque vão chegar mais a tempo de aplicar a segunda dose”, afirmou. “Até abril a gente deve ter 80 milhões de doses”.

Donizette elogiou a atuação de Pazuello na condução da reunião de hoje. “Eu acho que foi bom pelo seguinte: a gente tirou uma relação que está complicada. A relação com os governadores está muito complicada, eu senti isso lá. Ninguém verbalizou, mas a gente sentiu o clima na reunião”.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que fiscaliza todos os poderes.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO