ACESSE

Não existe "o outro lado" para as Forças Armadas

Telegram

 

Na entrevista que deu à Veja, como publicamos, o general Luiz Eduardo Ramos afirmou que as Forças Armadas não dariam golpe, mas que “o outro lado tem de entender também os seguinte: não estica a corda.”

Mesmo indo para a reserva, o general Ramos tem de entender também o seguinte: não existe “o outro lado” para as Forças Armadas. Elas são do Brasil, de todos os brasileiros, não importa o credo ideológico que tenham.

Ser do Brasil, de todos os brasileiros, significa obedecer estritamente ao que está previsto pela Constituição Federal — e no texto constitucional não há previsão de as Forças Armadas funcionarem como “poder moderador”.

Não há mais espaço para vivandeiras neste país. Os granadeiros são admirados porque as recusam nos seus bivaques.

Leia mais: Exclusivo: os bastidores do 'inquérito do fim do mundo', no STF

Comentários

  • Paulo -

    ELE FALA EM NOME DOS MILITARES, DELE PESSOAL, TEM QUE FAZER COMO OS MILITARES AMERICANOS, NAO SOMOS POLITIZADOS, NAO NOS MISTURAMOS, AQUI PELO CONTRARIO, PASSAM UMA MENSAGEM, DEPOIS MUDAM, AFINAL.

  • Gilberto -

    O Anta , como sempre, tentando criar confusão. O General fala como Ministro do Governo e não pelas FA, portanto o outro lado claramente são os demais poderes, especialmente o Judiciário.

  • Remi -

    As Forças Armadas não vem para moderar, vem para resolver.

Ler 162 comentários