“Não existe uma guerra jurídica”

O Estadão perguntou a René Ariel Dotti, o advogado da Petrobras que quer aumentar a pena do condenado:

“A defesa alega que Lula é vítima de uma guerra jurídica. Há fundamentos?”

Ele respondeu:

“Não existe uma ‘guerra jurídica’ e sim um debate nacional sobre a operação que aponta o maior escândalo financeiro na história do Brasil.”

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 5 comentários
  1. Tem razão, além de ser autoridade no assunto. O Lula e seus capangas acostumaram a roubar, até que apareceu a Lava Jato e pôs fim a essa sacanagem contra a sociedade brasileira. O Lula, por ser autoritário, salafrário, enganador e personalista não incentivou a formação de um sucessor, tornando-se o seu único expoente e apropriando o PT para si. Sem ele o PT não existe. É esse o motivo de dessa barulheira do partido. Veja-se um exemplo: quem o Chico Buarque passará a idolatrar se o Lula cair fora? Os boquirrotos Gleisi e Lindbergh? Jamais! Eles não jogam futebol na chácara do Chico, nem apreciam uma pinga.

  2. NÃO , NAO ! O MAIOR ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO NÃO É PETROBRÁS É O DO BANESTADO ! CUJO O JUIZ ERA MORO E FICOU CONHECIDO POR PERDOAR TODOS OS TUCANOS ENVOLVIDOS NO CASO ,ASSIM COMO ELE .520 BILHOES !

    1. O dr Moro não perdoou ninguém.
      A legislação é quem determinou isso. Foi por este motivo que ele se dedicou a estudar como acabar com os crimes financeiros executados por políticos.
      E além disso no caso Banestado, os valores não chegaram nem perto das quantias roubadas descaradamente pelo PT nos casos demonstrados pela Lavajato.
      Isso é o chororô de sempre dos petistas pra divergir do que fizeram.
      Chora Petralha. Tua vida mole acabou.