"Não foi declaração de guerra, mas Lira mostrou que está insatisfeito", diz líder do DEM

“Não foi declaração de guerra, mas Lira mostrou que está insatisfeito”, diz líder do DEM
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O deputado Efraim Filho, líder do DEM na Câmara, não considera que o pronunciamento de ontem de Arthur Lira tenha sido uma “declaração de guerra” ao governo de Jair Bolsonaro.

Efraim, porém, disse a O Antagonista:

“Não foi uma declaração de guerra, mas Lira mostrou que está insatisfeito e quis marcar posição.”

O demista emendou:

“Se o governo erra, o Lira não quer ser sócio no resultado.”

Assim como outros líderes partidários que falaram com este site em reservado, Efraim não acredita que o discurso seja forte o suficiente para se pensar em abertura de processo de impeachment do presidente da República.

“Não chega a tanto.”

No dia em que o Brasil ultrapassou o patamar de 300 mil mortes pela doençao presidente da Câmara ocupou a tribuna para dizer que “tudo tem limite” e que os remédios políticos no Parlamento são conhecidos e são todos amargos, alguns, fatais”.

Mais cedo, Lira e Bolsonaro se reuniram, fora da agenda, no Palácio do Planaltocomo registramos.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO