Não foi rebelião

Está cada vez mais claro que o massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, não foi uma rebelião de presos mas uma guerra de facções.

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, explicou que só houve mortes “de um lado”. A Família do Norte (FDN), terceira maior facção do país, fez uma “limpa geral” contra integrantes do PCC.

Alvo em 2015 da operaçao “La Muralla”, a FDN atua na chamada “rota do Solimões”, por onde é escoada a droga produzida no Peru e na Bolívia para o mercado consumidor no Brasil e no exterior.

Faça o primeiro comentário