"Não há censura ou ódio do bem"

Telegram

Do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, sobre a pancadaria iniciada na noite de sexta-feira por militantes de esquerda contrários à simples exibição de um filme sobre o autor Olavo de Carvalho:

“Lamentável o que aconteceu há pouco na Universidade Federal de Pernambuco antes da sessão do filme ‘O Jardim das Aflições’, de Josias Teófilo. Militantes tentaram impedir a exibição e o debate previstos, valendo-se de violência, coerção e ofensas. Houve agressões físicas. Há feridos. Trata-se de um comportamento inaceitável num país democrático.

Filmes devem ser exibidos livremente (com a devida classificação etária). O mesmo vale para exposições, peças de teatro e outras manifestações culturais. Como já escrevi aqui… Não há censura, intolerância, totalitarismo, ilegalidade ou ódio ‘do bem’. Viva a liberdade, a diversidade, o estado de direito, a tolerância e a democracia. Esta radicalização autoritária não interessa à cultura, à sociedade e ao país. Há uma Constituição. Há que respeitá-la!”

 

Comentários

  • Antonio -

    Exibir filme de Olavo de Carvalho em Universidade Federal gera reação violenta da esquerda. Os mesmos sujeitos que lutam com unhas e dentes pelo direito de um peladão ser tocado por criança de 5 anos agora usam até porrada para impedir que um filme seja exibido. Esse episódio não irá gerar protesto de "artistas" contra a censura ou editoriais inflamados. A esquerda quer a liberdade e tolerância apenas para os seus. Para os opositores, censura, porrada, prisão e morte. Quem não consegue perceber os desejos totalitários dessa gente é muito burro ou canalha mesmo. L. Ruschel

  • Ei, -

    Ei, minitro... suruba com crianças não pode, isso não é arte.

  • Siará -

    discordo do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão universidades públicas não são o lugar para o debate de filmes ou peças de teatro ou debates democráticos universidades públicas são o lugar perfeito para a exibição do nu artístico e da doutrinação ideológica

Ler 89 comentários