Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Não há fórmulas prontas e nem almoço grátis", diz Gilmar, sobre 'golpe do fundão'

O decano do STF disse hoje que alertou, ainda em 2015, sobre os problemas que surgiriam com o fim das doações eleitorais privadas
“Não há fórmulas prontas e nem almoço grátis”, diz Gilmar, sobre golpe do fundão
Foto: SCO/STF

Gilmar Mendes disse hoje, em seu perfil no Twitter, que alertou, ainda em 2015, sobre os problemas que surgiriam com o fim das doações eleitorais privadas.

Segundo o decano do STF, “em um sistema complexo, não há fórmulas prontas e nem almoço grátis”.

Ontem, o Congresso aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022 destinando R$ 5,7 bilhões para campanhas políticas. O valor é quase três vezes maior do que os montantes pagos anteriormente (leia aqui e aqui como votou cada parlamentar).

Leia a íntegra do que escreveu o ministro:

“Em 2015, quando o STF proibiu a doação de PJs nas eleições, alertei para o risco de inflação exorbitante do fundão. Ao invés, deveríamos fortalecer a fiscalização dos gastos de campanha (historicamente frágil). Em um sistema complexo, não há fórmulas prontas e nem almoço grátis.”

Crédito: Reprodução / Twitter / Gilmar Mendes

Mais notícias
TOPO