NÃO HÁ PROVA DE PAGAMENTOS POR CAMPANHAS NO EXTERIOR

Além da planilha indicando que a Odebrecht pagou pelos serviços de João Santana à campanha de Dilma, a PF ressalta que o publicitário e sua mulher não apresentaram provas de que o dinheiro da Shellbill veio de contratos de campanhas realizadas no exterior.

“Não foi apresentado qualquer indício que seja, por parte de seus defensores, que corrobore tal afirmação”, diz a PF. Os delegados também destacam que a defesa dos investigados “reduz os inúmeros indícios expostos nos presentes autos a meras especulações”.

“Até o presente momento nada apresentou que possa fazer prova em contrário. Não há um contrato, uma invoice, um registro ou mesmo uma troca de e-mails ou qualquer indício, por menor que seja, apto a corroborar os fatos alegados pela defesa.”