ACESSE

"Não há razão para Alckmin deixar de colaborar na campanha", diz Covas

Telegram

Bruno Covas afirmou há pouco que “não há nenhuma razão” para afastar Geraldo Alckmin dos colaboradores de sua pré-campanha para a reeleição na Prefeitura de São Paulo.

Como mostramos, Alckmin foi indiciado ontem pela Polícia Federal pelos crimes de caixa dois eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, o ex-governador e outras duas pessoas receberam propina da Odebrecht para favorecer a empreiteira em contratos do Rodoanel e da Linha 4 do Metrô de SP.

“Ele foi indiciado, não condenado”, disse Covas. “Aliás, agora, a partir do indiciamento, ele é oficialmente investigado. Ou seja, não há nenhuma ação ainda contra ele –nem réu é, muito menos condenado.”

E completou:

“Confio plenamente na inocência do ex-governador Geraldo Alckmin, que tem uma vida de serviços prestados à população e que, ao longo desses 40 anos de vida pública, possui o mesmo patrimônio que possuía quando começou sua carreira política. Tenho certeza que ao final de todo esse processo ele vai provar a sua inocência. Não há nenhuma razão para que ele deixe de colaborar na nossa campanha.”

Leia mais: Exclusivo: a casa secreta de Brasília onde ministro conspira contra ministro

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários