ACESSE

“Não me adaptei à cultura do compadrio”, diz presidente do BB

Telegram

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, disse à CNN que não se adaptou “à cultura de privilégios, compadrio e corrupção de Brasília” e por isso entregou seu pedido de renúncia ao cargo.

Como publicamos, a cúpula do governo federal foi pega de surpresa com a renúncia de Novaes. Auxiliares próximos de Jair Bolsonaro ficaram sabendo da decisão pela imprensa.

Novaes afirmou ainda que em maio entregou a Paulo Guedes uma lista de sugestões com nomes para sucedê-lo no comando do banco.

Ele não revelou, porém, os nomes: “O banco precisa de um executivo jovem afinado com todas essas transformações”.

 

 

Leia mais: Diogo Mainardi: 'Gilmar não vai derrubar Bolsonaro'

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 131 comentários