Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Não me parece republicano ampliar o poder de influência do Congresso sobre o CNMP"

O líder do Podemos, Igor Timo, criticou a pressa de colegas para votar a PEC que enfraquece o Ministério Público. Partido fechou questão contra
“Não me parece republicano ampliar o poder de influência do Congresso sobre o CNMP”
Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Como registramos mais cedo, a bancada do Podemos na Câmara, com somente 10 representantes, fechou questão contra a ‘PEC do Gilmar’que coloca o Ministério Público no “corredor da morte”, nas palavras do procurador Helio Telho.

O líder do partido, deputado Igor Timo (foto), disse a O Antagonista estar claro que a proposta, prevista para ser votada hoje no plenário, não aprimora o Conselho Nacional do Ministério Público.

“Também não me parece republicano ampliar o poder de influência do Congresso sobre o CNMP. A PEC apresenta imperfeições desde a tramitação na comissão especial, onde não houve o debate necessário e a proposta nem sequer teve o seu relatório votado.”

Assim como o Novo, o Podemos tentará retirar de pauta a proposta.

Timo chamou a atenção para a pressa de líderes partidários em votar a matéria, “atropelando outros temas que seguiram todo o trâmite legislativo e estão prontos para serem votados em plenário, como a PEC do Fim do Foro Privilegiado”.

Leia também: Os 185 deputados que apoiaram o “corredor da morte” para o Ministério Público

Mais notícias
TOPO