"Não me sinto arrependido", diz deputado que arrancou cartaz sobre racismo

Em entrevista ao Estadão, o deputado Coronel Tadeu, do PSL de São Paulo, disse que não se arrepende por ter arrancado um cartaz de uma exposição na Câmara que tratava de racismo e lembrava o Dia da Consciência Negra.

“A exposição é maravilhosa, sobre racismo. Sou favorável à pauta. Mas, no meio de tanto cartaz bonito, você vê uma agressão como essa contra a Polícia Militar? Isso é inaceitável”, afirmou o parlamentar.

“Não me sinto arrependido. Fiz o meu papel eleito por quase 100 mil famílias de policiais do estado de São Paulo. Só que, no momento em que venho para a Câmara dos Deputados, eu deixo de representar os policiais e passo a representar toda a sociedade. Eu não poderia admitir uma agressão daquela altura. Quem sabe, a forma não foi tão acertada, mas a medida foi correta. Não há arrependimento. Quem foi atacada foi a Polícia Militar.”

Coronel Tadeu diz também que não quebrou o decoro parlamentar.

“De jeito nenhum. Não ofendi um parlamentar. Não ofendi nenhuma pessoa. Simplesmente eu exerci o meu mandato. Mais do que nunca defender quem precisa ser defendido. E, aqui, estamos tratando de uma agressão e não de uma exposição. Estamos tratando de uma agressão a um determinado público. E isso não pode ser permitido.”

Comentários

  • Irritante -

    sim processo em quem fez o cartaz. sim indignação se quiser. Nunca cerceamento de liberdade de expressão. ha menos pessoas indignadas com a sessão em homenagem ao pinochet do que com este caso.

  • Sirlei -

    Coronel Tadeu agiu corretamente,esta cântilena de que policiais só agridem e matam negros ,já esgotou minha paciência.Enaltecer Zumbi é desconhecer a verdadeira história da escravidão.

  • Sueli -

    Corretíssimo! Não se pode permitir uma ofensa dessas no Congresso!

Ler 59 comentários