Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Não-médico prescrever remédio é algo absolutamente irregular e ilegal"

Antes, na CPI da Covid, o infectologista Francisco Alves, defensor do tratamento precoce, disse que maioria dos procedimentos médicos não têm nível de evidência máxima
“Não-médico prescrever remédio é algo absolutamente irregular e ilegal”
Reprodução/Tv Senado

Durante depoimento à CPI, o infectologista Francisco Alves, defensor do tratamento precoce contra a Covid, afirmou que é “absolutamente irregular e ilegal” alguém que não é médico recomendar medicamentos contra a doença.

“Não-médico prescrever remédio é algo absolutamente irregular e ilegal”, afirmou, em resposta ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM).

Sem citar nominalmente Jair Bolsonaro, o senador criticou quem recomenda medicamentos como cloroquina sem formação na área.

“O que nós sempre criticamos não foram os médicos prescreverem remédios, nós sempre criticamos não-médicos fazerem apologia a medicamentos sem saber qual é a dosagem. ‘Olha, tô aqui com a caixinha, isso aqui me salvou'”, disse.

Antes, Francisco Alves defendeu o uso “off-label” de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina.

“Menos de 10% dos tratamentos e procedimentos médicos do mundo atualmente possuem esse chamado nível de evidência máxima, erroneamente chamado por alguns de comprovação científica. A vasta maioria dos tratamentos médicos, incluindo quase todos os procedimentos cirúrgicos, ginecológicos, pediátricos, mais de 90% dos procedimentos em cardiologia, oncologia e infectologia, por exemplo, não possuem nível de exigência máximo que tem sido exigido para Covid-19 por alguns. E são feitos normalmente em território nacional sem nenhum óbice ou questionamento”, disse.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO