"Não parece haver urgência. Não se vê o governo se movimentando"

“Não parece haver urgência. Não se vê o governo se movimentando”
Foto: Reprodução

A entrevista à Crusoé da médica infectologista mineira Denise Garrett, vice-presidente no departamento de epidemiologia aplicada do Instituto de Vacinas Sabin, em Washington, provoca ainda mais indignação com o governo de Jair Bolsonaro.

Ela diz que “há uma inércia muito grande no governo federal, que não tem feito novos acordos” para conseguir vacinar o quanto antes os brasileiros.

“Não parece haver urgência. Não se vê o governo se movimentando. O que está sendo combinado com a Pfizer é uma quantidade irrisória.”

Enquanto isso, Denise prevê que “ainda não vimos o pior da pandemia”.

“Isso vai acontecer no início de 2021. Há uma negligência por parte da população, que está cansada, e não há praticamente nenhuma medida de controle.”

Assine a Crusoé e leia a entrevista completa aqui.

Leia mais: Quem são os integrantes do primeiro escalão de Joe Biden, cuja composição foi marcada pela previsibilidade.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO