“Não permitiremos que candidatos comprem publicidade no Twitter”

Melissa Barnes, diretora-geral do Twitter para a América Latina, disse ao Estadão que Donald Trump “foi o primeiro a entender a nova forma que a mídia está funcionando nos EUA, da mesma maneira que Franklin Roosevelt foi o primeiro a realmente saber como usar o rádio e John F. Kennedy ter sido o pioneiro no uso da televisão”.

Ela afirmou também que, na disputa eleitoral, “os políticos e seus grupos de apoiadores vão continuar a usar o Twitter como um meio para dar força à sua estratégia de comunicação”.

“No Brasil, nós estamos olhando as leis de perto. Para cumprir as regras de transparência, não permitiremos que candidatos comprem publicidade para veicular no Twitter.”

Isso ocorrerá, segundo o jornal, porque as regras exigem que os posts patrocinados tenham a clara menção de que se trata de uma publicidade – ferramenta que, ao contrário de suas concorrentes, a empresa ainda não oferece.

Os candidatos “poderão, porém, manter perfil pessoal no Twitter e se comunicar por meio dele”, explicou Barnes. “E nós sempre gerenciamos aqueles que violam nossas políticas de anúncios – isso não vai mudar. Não vamos priorizar candidatos ou grupos de nenhum tipo de ideologia”, garantiu a diretora-geral da plataforma para a América Latina.

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Se já privilegiam, porque deixariam de privilegiar a esquerda (embustida ou não) justamente nas eleições.
    As ordens de Soros e do establishment são claras e aterrorizantes.

Ler mais 11 comentários
  1. Se já privilegiam, porque deixariam de privilegiar a esquerda (embustida ou não) justamente nas eleições.
    As ordens de Soros e do establishment são claras e aterrorizantes.

  2. Senhora Melissa,complementando, Roosevelt se utilizou do radio, kennedy da TV, Trump da internet para mobilizar os seus eleitores, entretanto aqui em terra brasilis se apresenta um candidato mobilizando seus eleitores …Ops digo comparsas a partir de sua cela de cadeia.

  3. Como outros devem ter achado, a parte da ideologia é uma mentira só. Salvo engano, algumas das pessoas que administram o twitter e o facebook no Brasil e no mundo, tem um viés globalista, esquerdista. Voltando ao ponto, o único que nunca patrocinou postos, nem comprou alcance, é o Jair Bolsonaro.

  4. “Não vamos priorizar candidatos ou grupos de nenhum tipo de ideologia”, garantiu a diretora-geral da plataforma para a América Latina.”

    hahahahahahahahahahahahahahahaha… Agora conta a do papagaio…

  5. Mas em compensação vã continuar intensificando e deletando perfis de direita como tem feito de forma frenética nos últimos meses, Twitter e Foicebook são um câncer administrados por lixos esquerdopatas globalistas.