ACESSE

"Não posso negar nem confirmar", diz Mendonça sobre dossiê contra servidores antifascistas

Telegram

Em entrevista à GloboNews neste domingo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, voltou a dizer que “não pode negar, nem confirmar” a existência do dossiê com informações de servidores públicos identificados como integrantes do “movimento antifascista”.

“O relatório só pode ser produzido legitimamente se houver elementos de possíveis situações que gerem a necessidade de atuação das forças de inteligência e segurança. Não há essa ‘figura’ (do dossiê). Se há, é dentro dos procedimentos regulares. E nenhuma dessas possíveis pessoas são investigadas pelo Ministério da Justiça. Não há nenhum tipo de investigação em relação a esse grupo que possivelmente assinou esse manifesto.”

Afirmou ainda que se ficar provada uma ação persecutória do “possível” relatório, ele demitirá os servidores envolvidos em sua pasta.

“A Justiça é um valor supremo no estado democrático de direito. Se for verificado que há qualquer ação persecutória e ilegítima, essa pessoa não pode trabalhar comigo.”

Em junho, segundo reportagem do UOL, o Ministério da Justiça organizou um relatório sigiloso sobre mais de 500 servidores públicos que se identificaram como opositores do governo Jair Bolsonaro e parte do movimento antifascismo.

 

Leia mais: A 'paz conveniente' reina em Brasília

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 62 comentários