‘Não são para proteção pessoal do parlamentar’

Rosa Weber, que costuma ser concisa, diz em seu voto:

“Prerrogativas e imunidades constitucionais não são para proteção pessoal do parlamentar, e, sim, para proteger a função.”

Ao que tudo indica, a ministra acompanhará o relator, Edson Fachin, e se posicionará no sentido de que o STF possa determinar medidas cautelares a parlamentares, sem necessidade de aval do Congresso.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Ler mais 9 comentários
    1. “Prerrogativas e imunidades constitucionais não são para proteção pessoal do parlamentar, e, sim, para proteger a função.” Ela pode ser ”ministra do STF petista”. Mais nisso está certa
      antes de ser ”parlamentar” ele é uma pessoa como qualquer um(ou deveria ,já que se acham deuses).

    2. Peloamor…, onde a Dilma achou esses ministrecos?
      Fachin péssimo!
      Rosa weber medíocre!
      Fux, egolatra vendido!
      Barrozinho, um ministro tão vermelho, que parece até, uma indicação do PSOL.
      OU ESSE STF TOMA VERGONHA, OU SERÃO PRESOS PELOS MILITARES.

    3. Agora só falta ver se o senado vai obedecer, já que o governo Temer está tentando institucionalizar a prática da corrupção e impunidade no país.

    Os comentários para essa notícia foram encerrados.