“Não se está fazendo análise da legalidade em momento nenhum”

Gilmar Mendes diz que a rapidez do STF na homologação dos acordos de delação é prova de que se trata de uma decisão liminar, que precisa ser chancelada lá na frente, pelo colegiado do tribunal.

Ele cita o exemplo dos 77 acordos de executivos da Odebrecht, que demoraram apenas dez dias para serem homologados por Cármen Lúcia, em janeiro.

“Não se está fazendo análise da legalidade em momento nenhum.”

Faça o primeiro comentário