Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Não se pode aceitar a subversão da ordem, da hierarquia e da disciplina", diz Santos Cruz

Para ex-ministro, caso Pazuello é "ataque frontal" aos princípios militares e mostra que Jair Bolsonaro avança "mais um passo na erosão das instituições"
“Não se pode aceitar a subversão da ordem, da hierarquia e da disciplina”, diz Santos Cruz
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em suas redes sociais, o ex-ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz afirmou ter sentido “vergonha” pela decisão do comandante do Exército de não punir Eduardo Pazuello e que o “conjunto dos fatos é uma desmoralização para todos nós”.
Para o general reformado, “houve um ataque frontal à disciplina e à hierarquia, princípios fundamentais à profissão militar”.
Santos Cruz diz que se trata de “mais um movimento coerente com a conduta do presidente da República e com seu projeto pessoal de poder”.
“A cada dia ele avança mais um passo na erosão das instituições. Falta de respeito pessoal, funcional e institucional. Desrespeito ao Exército, ao povo e  ao Brasil. Frequentemente, com sua conduta pessoal, ele procura desrespeitar, desmoralizar pessoas e enfraquecer instituições. Não se pode aceitar a SUBVERSÃO da ordem, da hierarquia e da disciplina no Exército, instituição que construiu seu prestígio ao longo da história com trabalho e dedicação de muitos. Péssimo exemplo para todos. Péssimo para o Brasil. À irresponsabilidade e à demagogia de dizer que esse é o “meu exército”, eu só posso dizer que o “seu exército” NÃO É O EXÉRCITO BRASILEIRO. Este é de todos os brasileiros. É da nação brasileira. A politização das Forças Armadas para interesses pessoais e de grupos precisa ser combatida. É um mal que precisa ser cortado pela raiz. Independente de qualquer consideração, a UNIÃO de todos os militares com seus comandantes continua sendo a grande arma para não deixar a política partidária, a politicagem e o populismo entrarem nos quartéis.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO