Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Não se pode combater crimes cometendo crimes", diz Barros

“Não se pode combater crimes cometendo crimes”, diz Barros
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Ricardo Barros criticou há pouco, em live, o “ativismo político do Judiciário”. Segundo o líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara, a prática está intensa “como nunca esteve”.

“O combate à corrupção é o grande desejo do brasileiro, mas não se pode combater crimes cometendo crimes, como vimos nos últimos anos. Ninguém pode atingir terceiros em sua honra, em sua reputação, e sair ileso.”

Barros disse ainda que o Congresso é “intimidado” pelo ativismo.

“Parlamentares são ameaçados quando se insurgem contra os privilégios que estão postos. Eu fui relator da Lei de Abuso de Autoridade e sei o que passei. Mas o Brasil precisa de mudanças e nós do Legislativo temos que patrociná-las.”

Barros é acusado pelo MPF de receber R$ 5 milhões em propina da Galvão Engenharia, para intermediar negócios da companhia junto à Copel, a estatal de energia do Paraná.

Leia mais: Deputados federais custam R$ 189 mil por mês aos pagadores de impostos; senadores, ainda mais
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO