"Não sei o que levou o presidente a não vetar, ou quem o instruiu a não vetar, mas é inacreditável"

“Não sei o que levou o presidente a não vetar, ou quem o instruiu a não vetar, mas é inacreditável”
Reprodução/Câmara

Em entrevista à Jovem Pan, o relator do pacote anticrime e presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Capitão Augusto, do PL de São Paulo, voltou a lamentar a sanção da criação do juiz de garantias.

“Eu gostaria de saber o que levou o Bolsonaro a sancionar [a medida do juiz de garantias]. Fiquei surpreso e decepcionado com esse não-veto presidencial. Tínhamos certeza absoluta que o governo iria vetar esse item. O governo acompanhou o trabalho na Câmara dos Deputados e sabia que esse ponto não agradava em nada a Frente de Segurança, nem o ministro Sergio Moro, que sabe da inviabilidade de sua aplicação. O não-veto nos pegou de surpresa. Gostaria muito de entender o que levou o presidente a não vetar esse ponto, que era o mais importante de ser vetado.”

Ele acrescentou que a atitude de Jair Bolsonaro foi “uma surpresa enorme, gigante, e uma decepção muito grande”.

“Não sei o que levou o presidente a não vetar, ou quem o instruiu a não vetar, mas é inacreditável.”

Questionado sobre a possibilidade de a sanção ter sido uma decisão para proteger Flávio Bolsonaro, Capitão Augusto respondeu:

“Nós não sabemos ainda o impacto da medida, nem sabemos para que casos vão valer, se vai valer para o caso do Flávio… Não sabemos nada como será feito isso, na prática, porque há várias correntes dentro do próprio judiciário que dependem de teses.”

Não comece 2020 ser ler isto. CONFIRA
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 170 comentários
TOPO