Não teve jeito

Houve quem defendesse que Michel Temer cancelasse a sua viagem à China, para evitar o impacto de ter Rodrigo Maia interinamente na Presidência logo depois do impeachment de Dilma Rousseff.

Faz sentido, mas Temer respondeu que não dava para cancelar.

Faça o primeiro comentário