Nenhum vestígio de direitos trabalhistas para os médicos cubanos

Em Crusoé, Duda Teixeira traz detalhes do processo movido por quatro médicos cubanos contra a Organização Pan-Americana de Saúde nos EUA.

O documento mostra, entre outros pontos, que os médicos assinavam o contrato um dia antes de entrar no avião e não podiam escolher as cidades em que seriam alocados.

Leia:

Nos contratos dos médicos cubanos, nenhum vestígio de direitos trabalhistas

O inimigo número 1 de Sergio Moro. Leia AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 28 comentários
    1. É que nos EUA há oportunidades, remuneração compatível, acesso a bens de consumo e moradia. Em Cuba só há cana para cortar…

  1. Muitos servidores do SUS – Saúde da Família não têm acesso a direitos trabalhistas como 1/3 férias ou 13 salário. Acontece muito no Nordeste, em plena luz do dia, bem na cara de gestores petista

  2. Pode ser que recebam os direitos pois, pela notícia, a ação foi movida nos EUA e não no Brasil. Aqui, com o viés esquerdista da Justiça Trabalhista brasileira, a chance seria quase zero de ganha

  3. Grande notícia. Sem concorrência do México e, com Bolsonaro na presidência, o comércio com os EUA vai quadruplicar. Podem ter certeza. Esquerdismo do México, comercialmente será benéfico para

  4. Quem vai noticiar essas coisas? GENTE. Infelizmente precisamos de canais de TV/jornal/ Revista noticiando mais coisas reais, senão continuaremos reféns da mídia vermelha manipuladora.

    1. Isso era para as “ofensas menores”, pois em casos que o partido considerasse grave o condenado veria a família morrer antes!!!