“Ninguém governa sendo o último a saber”

Na sua coluna, Dora Kramer aborda a continuidade do esquema montado pelo PT, desde a ascensão do partido ao poder, para surrupiar dinheiro público, fazer caixa 2 e lavar no caixa 1.

Leiam o trecho final:

“Substituto de Duda Mendonça na arquitetura das vitórias do PT, João Santana não foi atingido agora por uma coincidência. Foi, isto sim, alcançado pelos efeitos da reincidência de um grupo político que invoca constantemente o preceito constitucional da presunção de inocência, mas que preferiu apostar na presunção da impunidade.

João Santana, o gênio conhecedor dos meandros do poder, certamente não embarcou de gaiato no navio. Como de resto estiveram cientes do conteúdo os porões, todos os demais navegantes, dos comandantes aos tripulantes. Ninguém governa por quatro períodos consecutivos sendo o último a saber.”

Para ser mais direto, Lula e Dilma sempre souberam de tudo. “Souberam”…