"Ninguém pode voltar a ser escravo de sindicalista"

“Ninguém pode voltar a ser escravo de sindicalista”
Foto: Divulgação

O deputado Paulo Eduardo Martins (PSC) replicou em seu Twitter a notícia que demos há pouco de que o governo Bolsonaro tenta resistir às pressões crescentes pela volta do imposto sindical obrigatório.

“A aberração que é o imposto sindical inviabiliza qualquer reforma de modernização do Brasil. Com dinheiro artificial, os sindicalistas, guardiões do atraso, interditam os temas. Sempre foi assim. Acabou [o imposto sindical obrigatório] e não pode voltar. É dever de vida impedir.”

A O Antagonista, o deputado acrescentou que a contribuição obrigatória “é um atentado à liberdade do trabalhador”.

“Ninguém pode voltar a ser escravo de sindicalista.”

Martins, ainda em 2016, foi autor de um projeto de lei que tratava do assunto e teve seu conteúdo incorporado à reforma trabalhista aprovada no ano seguinte no Congresso, no governo de Michel Temer.

Há pouco, como registramos, o deputado José Nelto, vice-líder do Podemos na Câmara, também reagiu a um possível volta do imposto sindical obrigatório, dizendo que seria “a volta dos picaretas”.

Leia mais: Pois é, nada mudou da esquerda para a direita.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO