Ninguém questiona o "direito" de Bolsonaro

Ninguém questiona o “direito” de Bolsonaro
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jair Bolsonaro e seus apoiadores estão repetindo que o presidente da República tem “o direito” e “a prerrogativa” de trocar presidente da Petrobras. Ninguém está questionando isso. É claro que se trata de uma estratégia, de uma construção de narrativa.

“O presidente pode interferir na alta administração da Petrobras. Entretanto, toda e qualquer mudança na administração deve se ater a recomendações técnicas muito bem elaboradas por especialistas, sempre levando em conta prós e contras da mudança. Não existe espaço para bravatas ou politicagem ideológica. A intervenção foi péssima e irresponsável. Mais uma bravata do Bolsonaro”, disse a O Antagonista o deputado Fausto Pinato (Progressistas).

Seu correligionário deputado Jerônimo Goergen acrescentou:

“Não há dúvida de que o movimento tem reflexo negativo. Acho que o prudente seria o presidente trazer uma justificativa clara dos motivos desses movimentos. Uma ação dessas não pode ficar com subentendidos ou ocultas intenções. Estado agindo assim custa caro e não resolve definitivamente o problema”.

O senador Jorge Kajuru (Cidadania) disse que o Executivo “teria de fazer alguma coisa” sobre os preços dos combustíveis, “mas poderia ter buscado alternativas fora da intervenção direta na Petrobras”, como “fundo de equalização dos preços dos combustíveis e a reestruturação da cadeia produtiva”“A questão merece ampla discussão”, finalizou.

Leia mais: A prisão do deputado Daniel Silveira, que ofendeu ministros do STF num vídeo, é mais um capítulo da avacalhação da democracia brasileira.
Mais notícias
TOPO