“Ninguém vai ser puxado pela gola da camisa”, diz Ayres Britto sobre vacina obrigatória

“Ninguém vai ser puxado pela gola da camisa”, diz Ayres Britto sobre vacina obrigatória
Foto: Agência Brasil

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto comentou neste domingo sobre a decisão de Ricardo Lewandowski de mandar para o plenário da corte o julgamento da vacinação obrigatória contra a Covid-19.

“Há muitas ações: ações diretas de constitucionalidade, pelo menos uma de descumprimento de preceito fundamental, e a oportunidade é excelente para o Supremo resolver todos esses impasses”, disse à CNN.

“É preciso fazer uma distinção entre obrigatoriedade e força física, constrangimento físico, coerção. Ninguém vai ser puxado pela gola da camisa, nenhuma autoridade judicial vai expedir mandado de condução coercitiva, ninguém será forçado a sair de casa ou deixar que as autoridades sanitárias entrem em casa para fazer a vacinação. Não vai haver constrangimento físico (…).

O indivíduo pode se recusar, sim, a se vacinar. Agora, há de se justificar, sob pena de sofrer as consequências.”

 

Leia mais: Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 137 comentários
TOPO