"No Brasil, o pessoal empurra com a barriga"

Ao menos 1.774 pessoas morreram desde 2007 em acidentes aéreos, desabamentos, incêndios e naufrágios que poderiam ter sido evitados ou, ao menos, atenuados se regras tivessem sido seguidas, fiscalizações feitas corretamente e os alertas, respeitados, registra O Globo.

“Empresas e agora até um clube de futebol mostram que não têm condutas adequadas do ponto de vista da segurança. Muitas vezes veem o item como um custo a ser reduzido. Há falhas de fiscalização por parte da boate Kiss, do Flamengo, da Samarco e do que até agora está se revelando no caso Vale”, disse o procurador José Adércio Leite, que participa das investigações sobre o rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho.

“O poder público não fiscaliza. E, por outro lado, os princípios fundamentais da segurança dessas operações não são obedecidos pelas empresas. No Brasil, o pessoal empurra com a barriga. Sabe que tem problema, que está errado, mas continua fazendo”, afirmou o engenheiro Celso Atienza, conselheiro da Associação Paulista dos Engenheiros de Segurança do Trabalho.

Comentários

  • Paulinha -

    E o MP não denúncia os donos pelos seus crimes. Se, realmente, fossem aplicadas as sanções penais aos dirigentes - este cenário mudaria rapidinho.

  • Giusti -

    Tbm é verdade q ao menos metade da população brasileira ainda não desceu das árvores. Vamos disseminar a civilidade a tdos os brasileiros q a responsabilidade vem a reboque.

  • O -

    Reforme a cf e elimine eleições a cada quatro anos, as câmaras de vereadores, as assembléias e use o dinheiro para criar polícia ambiental e maior atenção à fiscalização das cidades.

Ler 30 comentários