No DF, estudante picado por cobra e outras três pessoas viram réus

A Justiça do DF aceitou a denúncia do Ministério Público contra o estudante Pedro Krambeck e outras três pessoas por associação criminosa.

Em agosto, a Polícia Civil havia indiciado 11 pessoas por suspeita de tráfico de animais silvestres.

O MP, no entanto, denunciou somente o estudante e as pessoas mais próximas.

Com a decisão da Justiça, viram réus Pedro Krambeck, Rose Meire Lehmkuhl (mãe), Eduardo Condi (padrasto) e Gabriel Ribeiro (amigo).

O tráfico de animais foi revelado após Pedro ter sido picado por uma naja que ele mantinha em casa, em julho.

O estudante entrou em coma e só foi recuperado após o Instituto Butantan, em São Paulo, enviar um soro antiofídico para o hospital em que Pedro estava internado, em Brasília.

Leia mais: O ministro que deixa a presidência do STF não deixará saudades. Mas um legado preocupante
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler comentários
TOPO