No hall dos indecisos (8)

A apresentadora de TV, ex-estilista e deputada Brunny Gomes, do PR de Minas Gerais, ainda não sabe o que fazer na votação do impeachment.

Ela chegou ao Congresso com o apoio do marido, o deputado estadual Hélio Gomes (PSD), dono de rede de postos de combustíveis.

Brunny provocou alvoroço na internet quando um vídeo dela dançando funk vazou. Em entrevista a O Globo quando assumiu o mandato, polemizou ao dizer ser fã de bolsas Chanel, mas “como lida com pessoas humildes, não dá para ficar ostentando”.

A assessoria de Brunny disse a O Antagonista que ela está muito ocupada em reuniões. Entre uma e outra, porém, ela certamente pode ler recados de vocês ajudando-a a decidir o voto: dep.brunny@camara.leg.br

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler 12 comentários
  1. Agora em Vitoria / ES tem uns 600 Golpistas do MST em frente ao Palácio Anchieta dando apoio ao PT… Detalhe… tem um Hyundai/Tucson a disposição deles… essas zelites golpistas.

  2. Rosana, o seu problema nao é ser contra o cunha, é ser a favor do PT, para garantir o seu emprego como mesmo já disse. Vc esta no lugar errado moça.

  3. Lucas Silva está certo Temos que tomar Brasília Quem puder ir para lá vá. Quem não puder vai para a rua em sua cidade

  4. Deixem que entram também os cidadãos que estão sendo barrados. Só o MST entrou nas ala da comissão. O povo também quer entrar. Se tiver algum antagonista aí veja se é possível fazer algo. Descarados petistas!!!!!

  5. PP se vendeu pra tentar ganhar alguma coisa depois….acho que não vai é ganhar nada porque ela não fica

  6. Tomara a Deus, e Ele seguramente quer, que o Impeachment passe de vez e acabe com essa agonia e sofrimento do povo brasileiro, frente à impunidade, à corrupção, a malversação do dinheiro público, ao desemprego record, à quebra de empresas record, etc etc

  7. Passar na Camara e depois de 6 meses, arquivar no Senado de Renan que será presidido por Lewandovski?

Os comentários para essa notícia foram encerrados.