No rastro das offshores

A força-tarefa da Lava Jato terá trabalho para esquadrinhar a rede de offshores montada pelo delator Salim Schahin para escoar o dinheiro roubado dos cofres da Petrobras – e não só da Petrobras.

Muitas delas já foram encerradas e o dinheiro pulverizado em outras contas. Os investigadores desconfiam de que esses recursos irrigaram não só a campanha de Lula, mas também a de Dilma Rousseff.

Na lista de offshores do grupo Schahin estão as seguintes empresas: Sea Biscuit International, Casablanca International Holding, S&S International Holding, Riskle Holding, Bryanson Holding, Bakersville Inc, M&S Drilling, Quibdo Corporation, Turasoria, Rudgil, Baerfield Drilling, Black Gold Drilling, Black Treasure Drilling, Deep Black Drilling, Dleif Drilling, Soratu Drilling, South Empire International, Schahin Holdco, Schahin Oil & Gas, Milos Drilling, Hodge Hall Investments, S&S Finance Services – esta última já identificada por Pedro Barusco como destinatária de recursos do petrolão.

Veja mais em:

Bumlai X Schahin

Outro contrato da Schahin: US$ 1,5 bilhão

Propina sem amarras

Schahin e as taxas da propina

Exclusivo: O contrato de US$ 3,6 bilhões da Schahin

Faça o primeiro comentário