No Senado, PSD já tem nomes à disposição

No Senado, PSD já tem nomes à disposição
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O PSD, segunda maior bancada do Senado, com 12 senadores (o MDB tem 13), oficialmente dirá que vai se reunir para discutir a sucessão de Davi Alcolumbre somente após o fim do prazo do julgamento sobre o tema no STF.

Por 6 a 5, a maioria apertada dos ministros decidiu pela obviedade da inconstitucionalidade da reeleição de Alcolumbre. Mas, em tese, o julgamento, no plenário virtual, segue até o dia 11 — as chances de mudança de voto são remotíssimas.

O PSD está trabalhando nos bastidores e, se houver apoio, poderá indicar nomes como Otto Alencar (foto), da Bahia, atual líder da bancada, ou Nelsinho Trad, do Mato Grosso do Sul, que preside a Comissão de Relações Exteriores.

Leia mais: Nesta semana, a Crusoé traz uma história intrigante: a empresária Cristina Boner, ex-mulher de Frederick Wassef, ex-advogado do clâ Bolsonaro que escondeu Queiroz em Atibaia, tem 9 milhões de dólares na Suíça. 
Mais notícias
TOPO