"Nome social", uma prioridade paulistana

Telegram

A prefeitura de São Paulo decidiu permitir que o "nome social" de transexuais e travestis sejam inscritos nas lápides dos cemitérios municipais. É uma administração inteiramente voltada para as prioridades da cidade.  

Comentários

  • Mauricio -

    Enquanto isso seguem ocupados ilegalmente aproximadamente 70 edifícios, na capital. E pasmem a Prefeitura está, acompanhada dos movimentos por moradia, vistoriando aquelas "ocupações" que apresentam algum risco aos seus "ocupantes". Incluindo ai o "risco" de serem mandados pra cadeia, que é o lugar correto para abrigar quem invade, ocupa, toma, se apropria, daquilo que não lhe pertence.

  • Magno -

    Onde se lê "devem podem exercitar...", entenda-se "devem poder exercitar...".

  • Antonio -

    Nota-se o viés mesquinho e homofóbico de quem escreve este texto. De fato é muito importante e um ganho para a sociedade que pessoas iguais a nós possam ter o seu nome social inscrito numa lápide. Foi medida sem custos para o estado e que apenas promove justeza social. Não sei o que isto poderá incomodar.

Ler 58 comentários