Nos trilhos do TSE

O PSDB continua a contar com o TSE para cassar o mandato de Dilma Rousseff.

A Folha de S. Paulo informa que, nesta segunda-feira, o partido pretende apresentar à Procuradoria-Geral Eleitoral um “pedido para que investigue se Dilma Rousseff cometeu crime ao dizer, na campanha de 2014, que o financiamento do porto de Mariel tinha recebido garantias da Odebrecht – e não do governo de Cuba”.

O próprio Marcelo Odebrecht disse que Dilma Rousseff mentiu, como explicamos neste post:

Segundo Marcelo Odebrecht, Dilma mentiu ao dizer que o empréstimo para a construção do Porto de Mariel em Cuba teria como garantia a Odebrecht. A mentira foi dita por ela no último debate da campanha em resposta a Aécio Neves. O Globo informa que a mensagem foi enviada a Benedicto Barbosa da Silva Junior, executivo da empreiteira, mas a PF a interceptou:

“Ela (Dilma) disse que as garantias são da empresa, e não do governo de Cuba. Ela está mentindo.”

O problema, portanto, não é demonstrar que Dilma Rousseff mentiu. O problema é que o TSE está nos trilhos do Trem da Alegria Tófole.