ACESSE

Nota da SKN

Telegram

A SKN do Brasil Importação e Exportação de Eletroeletrônicos divulgou a seguinte nota sobre a informação de que, alvo da Operação Para Bellum, o secretário de Saúde do Pará, Alberto Beltrame, comandou outro processo de contratação da empresa, que é investigada na negociata dos respiradores:

“Não houve qualquer ilegalidade nas contratações ou prejuízo ao Estado do Pará em nenhum dos dois negócios. A SKN é uma importadora com uma década de atuação íntegra e foi a parte prejudicada no negócio entre o governo do Pará e o fornecedor chinês.

No caso das bombas de infusão peristáltica, o Estado recebeu os produtos, que estão sendo utilizados pela população. Assim como os respiradores, esse também foi um negócio plenamente regular, mas que o Estado do Pará não pagou a totalidade do valor acertado até agora. Ou seja, se houve prejuízo, foi para a SKN.

No caso dos respiradores, que também foi uma aquisição lícita, houve uma divergência em relação aos produtos, e a empresa em um claro sinal de boa-fé já transferiu a maior parte do valor dos respiradores para o Estado e requereu a compensação dos créditos não recebidos pela aquisição das bombas. Em nenhum dos casos o governo do Pará cumpriu com sua parte: não pagou o valor total das bombas e, no caso dos respiradores, não devolveu os produtos.”

Arte: O Antagonista

Leia mais: Quem são os atravessadores que ganham com a pandemia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 6 comentários