Nota do deputado Newton Cardoso Jr

O deputado Newton Cardoso Jr enviou a O Antagonista nota oficial da empresa da família.

“NOTA OFICIAL

Esclarecemos ter recebido na data de hoje agentes da Polícia Federal objetivando o cumprimento de uma ordem judicial proferida pelo Excelentíssimo Senhor Ministro do Supremo Tribunal Federal, Doutor Dias Toffoli.

Atuando no mercado brasileiro por mais de 30 anos, a licitude e transparência nas atividades sempre foram os princípios que nortearam E SEMPRE NORTEARÃO nossos negócios.

RESPEITAMOS fielmente todas as ordens e mandados judiciais e reiteramos nossa posição em auxiliar as autoridades sempre que for necessário e solicitado. Esclarecemos, ainda, que todas informações já foram prestadas no ÂMBITO do processo judicial.

Atenciosamente,

Rio Rancho Agropecuária S.A”

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Voces esqueceram que qdo ele foi governador de Minas Gerais ele roubou até os lustres do Palácio da Liberdade!

Ler mais 13 comentários
  1. Voces esqueceram que qdo ele foi governador de Minas Gerais ele roubou até os lustres do Palácio da Liberdade!

  2. Newton Cardoso era muuuiiito pobre, conseguiu uma vaga de vereador em Contagem pq tinha uma portinha de comércio e assim conheceu muitos funcionários que trabalhavam em grandes empresas como Manesmann e Gasbras.
    Daí a prefeito e governador foi uma ascensão rápida. Nunca teve outra atividade a não ser político. Tornou-se multimilionário, pq será?
    Só ele já dava uma Lava Jato.

    1. O principal você não contou: dizem ser ele filho bastardo do patriarca do grupo BMG, nascido no interior da Bahia. As peças encaixam melhor agora?

  3. Até um calhorda do Newtão sabe que decisão judicial se respeita. Lula é mesmo o maior picareta que da classe política.

  4. E eu pensando que essa “FAMÍLIA ERA DE BANDIDOS”.
    Coitados! Que injúria! Uma família de pessoad tão honestas, de pessoas que jamais tocariam no alheio.
    Morro de pena.

Os comentários para essa notícia foram encerrados.