Nota pública sobre a censura à Crusoé

Fomos surpreendidos na manhã desta segunda-feira, 15 de abril de 2019, pela decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, de censurar a reportagem “O amigo do amigo de meu pai”, publicada na sexta-feira passada pela revista Crusoé. A reportagem revela, com base em documento da Lava Jato reproduzido pela revista, que Marcelo Odebrecht, ao utilizar o codinome em mensagem a executivos da sua empreiteira, disse à Força Tarefa da operação que se referia a Antonio Dias Toffoli, na época Advogado Geral da União e hoje presidente do Supremo Tribunal Federal. Além de censurar a revista, o ministro Alexandre de Moraes determinou que a Polícia Federal tomasse depoimentos dos jornalistas. Nossos advogados entrarão com recurso ao colegiado do STF, para tentar reverter esse atentado contra a liberdade de imprensa, aspecto fundamental da democracia garantido pela Constituição. Na nossa visão, trata-se de ato de intimidação judicial. A liberdade de imprensa só se enfraquece quando não a usamos. Continuaremos a lutar por ela. Mario Sabino Publisher da Crusoé

Comentários

  • Sidnei -

    Alexandre de Moraes acaba de deixar claro de que lado ele está. Não é do lado da justiça e da constituição. Se a população pede fora Gilmar..... fora Alexandre também

  • Massaaki -

    Não se deixem intimidar. Esperamos ansiosamente pela continuidade da reportagem com mais furos e elucidações. No que for possível, é claro. Avante imprensa independente. Independente do Estado.

  • Paulo -

    Ditadura é isso, e não o que aconteceu em 64, Ditadura Militar foi em 68 com o AI-5 e parece bem sugestivo agora que o STF tomou o poder pra si e persegue quem é contrário àquela Corte, aliás, L

Ler 457 comentários