ACESSE

Novo ministro da Educação apaga vídeo em que defende castigo físico

Telegram

Após a repercussão negativa, Milton Ribeiro, o novo ministro da Educação, apagou de suas redes o vídeo em que ele defende educar crianças com castigo físico.

A gravação foi feita na Igreja Presbiteriana Jardim de Oração, há quatro anos.

No material apagado, Ribeiro diz que “um tapa de um homem ou uma cintada de uma mulher podem ser muito mais fortes que uma criança pode suportar”. Em seguida, afirma: “Não estou aqui dando uma aula de espancamento infantil, mas a vara da disciplina não pode ser afastada da nossa casa”.

“Talvez uma porcentagem de crianças muito pequenas, de criança precoce, superdotada, é que vai entender o seu argumento. Deve haver rigor, desculpe, severidade. E vou dar um passo a mais, talvez algumas mães até fiquem com raiva de mim: devem sentir dor.”

Leia mais: Um governo doente. Clique para ler mais

Comentários

  • Aldo -

    A regra de não punir está criando uma geração de inúteis sem limites. Tenho um caso familiar, mas o espaço aqui é pequeno, mas se na história do homem existiram umas lambadas merecidas, foram aquelas.

  • Maria -

    Começou mal! Nunca recebemos um tapa sequer de nossos pais. E éramos 6. Todos íntegros e cidadãos cumpridores de seus deveres. Seguimos exemplos. Bater numa criança é incompetência

  • Helena -

    É um sociopata! Bandido! Agressão e abuso contra crianças! Isto é crime! “Eu amo as crianças da minha igreja”! Só ama as da sua igreja? É isto é amor? Isto é educar? É o contrário!

Ler 181 comentários